quarta-feira, 12 de agosto de 2009

ANHANGUERA MON AMOUR: ZOOLÓGICO GLOCAL

video
Em tempos sombrios para o meio ambiente, resolvi contribuir ao desenvolvimento de Black Stream. Sem dúvida, depois que o aeroporto se tornará internacional, permitindo o "fluxo contínuo" de turistas e recursos em forma de dinheiro, cabe perguntar o que oferecer aos hóspedes. Minha contribuição chega, aqui, em sua face zoossociológica.
A idéia de explorar os monumentos dedicados ao "patrimônio zoológico do impossível" surgiu quando, de repente, passei pelo km 242 e as duas cabeças brancas, cortadas na altura do cupim, se destacaram, repentinamente, em sua mjestade bovina, contra um campo de cana (hahaha...) e um céu azul calcinha.
Comecei, assim, a observar e a capturar a essência animal da escultura zoomórfica local, quase obrigatoriamente realizada em materiais plásticos, mas às vezes o gesso também serve. Pedra que é boa, praticamente zero.
Deve ser porque o plástico demora mais para desaparecer do meio ambiente e as possantes realizações faunísticas ficam, assim, um pouco mais eternizadas.
EM TODA SUA GRANDIOSIDADE
E ENIGMA.
Borges, morra de inveja, perante essa galeria de maravilhas, perante essa zoologia pra lá de fantástica!!!
O URUBU ARCO-IRIS, por exemplo, rara espécie tropical de urubu que tinge suas penas com as cores brilhantes de um papagaio.
Ou os Cavalos de Aço (ferrovelho da Anhanguera, km 250, lá no fundo... na foto, até parece que são dois cavalos fora de foco de verdade, mas é ferro enferrujado... ATÉ PARECE...).
Touros TODOS PODEROSOS Reprodutores se multiplicam, quase em cada esquina há um, com seus atributos ou vitimados pela guilhotina.
Com frequência, o bovino vem acompanhado de seu parceiro equino. Não sei se foi por acaso ou por destino, mas acabei esbarrando em um monumento estranho... um golpe de rabo romântico na fazenda... os dois túmulos dos eternos amantes Julieta e Romeu, a Égua e o Reprodutor com seus ricos atributos, por sinal uma representação patriarcal de fertilidade, para sempre dormem lado a lado,
ENQUANTO
uma suspeita se apodera de mim: onde está o
PRIMEIRO
VERDADEIRO
ORIGINAL
BEZERRO DE OURO????
Uma segunda horda animal invade o território, uma realidade zoológica ainda demasiadamente subestimada em sua força, presença & POTÊNCIA VISUAL:
SAPOS & RÃS & LESMAS artificialmente coloridas dedicam-se aos lazeres típicos de seu dia a dia: tomar banho de lua, despontar entre cogumelos tóxicos, praticar esportes.
De repente, estou na área dos "Grandes Felinos": o mundo foi colonizado por tigres, algumas até precisam de correntes nas patas, para não fugir.
No meio de todas essas "solicitações sensoriais",
percebo
O GRANDE ERRO DE BENJAMIN!
Sim,
WALTER BENJAMIN ESTAVA ENGANADO!
Pela galeria oferecida pode ser, com efeito, realçado que:
NENHUMA OBRA SERIALMENTE PRODUZIDA É IGUAL À OUTRA.
Nem naqueles casos em que a gente acha que É ÓBVIO.
Não há touro igual à outro. Não há rã igual à outra.
Observe-se a rã em posição deitada, apoiada, quase com gesto melancólico, ao braço direito, vestida de sua gravata listrada.
Ela aparece em duas imagens, mas... vejam e revejam, senhoras e senhores, a rã tem cores diferentes!
E o caso ainda mais "SUCULENTO"?
O TIGRE!
O TIGRE PELUDO,
de cavanhaque,
muito "macho".
Que diferença,
do tigre meigo e
um pouco delicado em seus gestos...
O que dizer, perante a confusão zoomorfológica entre um dragão (que poderia até trabalhar em uma loja de churrasqueiras, vai, ainda que revelando uma certa falta de respeito pelos fãs do Fantasy) e este
FANTÁSTICO EXEMPLAR DE CRUEL TIRANOSSAURO
alto quase dois metros, a não ser:
Divulguem um pouco mais a biologia e um pouco menos Discovery Channel!
Eu não sei o que pensar, quando me encontro em presença do COELHINHO PELUDO mais ameçador que já desceu na terra. Criatura evidentemente enganosa, que esconde, atrás dos grandes, grandes olhos lânguidos de clara inspiração dysneiana um espírito maligno. De uma visão do inferno, para outra:
O GOLFINHO PIRIPIRI!
Trata-se de uma instalação permanente, que pode ser (infelizmente) encontrada a caminho de Marililúland, meio oeste que mais meio oeste tá difícil. Ganha de Black Stream.
Então, a instalação é sabiamente iluminada por neón esverdeado (o bolor é natural e alimentado 24 hs por dia pelas gorduras de uma chapa).
A composição é interessante: um golfinho cospe, em uma piscininha, enquanto às suas costas (golfinho tem costas, mas não tem ombros) uma paisagem de montanha(????) domina o horizonte. Como não lembro do nome do posto, meu sub/in/consciente resolveu, em um ato sabiamente antropológico, que
UM LUGAR É SEU NOME.
Daí veio Piriri.
Enquanto observava incrédula & chocada o conjunto, consciente de sua importância e da necessidade de compartilhar tudo isso, meus sentidos ficaram aturdidos pela consistente nuvem de vapores de alho dos espetinhos de frangos consumidos em minha volta.
Eram duas da madrugada...
Eu, aqui em Black Stream, com toda essa bicharada, já estou procurando o uniforme de Indiana Jones...

2 comentários:

  1. Anhanguera, Anhanguera, pelo menos não é Pitangueiras, mas vá lá tinha paisagens legais tão quanto... p/ quem morava num sobrado, hehehe o lugar mais alto do local, rsrs patético.

    ResponderExcluir
  2. Para quem acha que já viu de tudo:
    http://criptozoologiabrasil.blogspot.com
    Haja bicho estranho!
    Valeria mandar notícias do panguá para esse pessoal.

    ResponderExcluir